terça-feira, 8 de novembro de 2011

Epistola de Palha??? (Martinho Lutero)



Quem leu o meu post do dia 04/10/11, intitulado "Estudo da Epistola de Tiago", pode ver que Martinho Lutero, pai da reforma protestante chamava a Epistola de Tiago de "epistola de palha".

Como todos sabemos a Bíblia é um livro inspirado, cada palavra foi inspirada por Deus e tem muito significado, então o que motivaria um pregador a ir contra um livro na Bíblia e dizer que esse livro em particular não era de Deus?

Se algum líder de alguma Igreja hoje em dia falasse que ele não acredita que alguma parte de Novo Testamento é inspirada por Deus, e é um erro, esse homem provavelmente seria rotulado de herético, ou um líder de alguma seita anti-Deus. Mas o homem que começou a reforma protestante, e que hoje é "idolatrado", fez exatamente isso. Então como ele conseguiu fazer isso, e saiu dessa sem que ninguém o questionasse?

O fato de que Martinho Lutero chamava a Epistola de Tiago de "Epistola de Palha"está muito bem documentada.

(Martin Luther writes: “In a word, St. John’s Gospel and his first Epistle, St. Paul’s Epistles, especially Romans, Galatians, and Ephesians, and St. Peter’s first Epistle are the books that show you Christ and teach you all that is necessary and good for you to know, even though you were never to see or hear any other book or doctrine. Therefore St. James’ Epistle is really an epistle of straw, compared to them; for it has nothing of the nature of the Gospel about it.” (In “Luther’s Preface to the New Testament,” published in 1522, revised in 1545, in the Works of Martin Luther, Philadelphia: Muhlenberg Press, 1932, copyrighted by the United Lutheran Church in America, vol. 6. pp. 443-444., translated by C.M. Jacobs)

[Tradução: Martin Lutero escreve: "Em uma palavra, O Evangelho de João e sua primeira espistola, as Epistolas de Paulo, Especialmente Romanos, Gálatas, e Efésios, e a Primeira epistola de Pedro são os livros que te mostram Cristo e ensinam tudo o que é necessário e bom para voce saber, ainda que você nunca fosse ver ou ouvir nenhum outro livro ou doutrina. Portanto, A epistola de Tiago é realmente uma epistola de palha, comparados a esses outros livros, pois não tem nada da natureza do evangelho nela." (Em "Prefacio ao Novo Testamento de Lutero", publicado em 1522, revisado em 1545, nas obras de Martinho Lutero, Philadelphia: Munlemberg Press, 1932, Direitos da Igreja Unida Luterana da América, vol. 6. pp. 443-444, Traduzido por C.M Jacobs]

Esse nome só pode significar que e epistola vai queimar como um monte de palha no dia do Julgamento.

Contudo, se o que alguém edifica sobre o fundamento é ouro, prata, pedras preciosas, madeira, feno, palha,   manifesta se tornará a obra de cada um; pois o Dia a demonstrará, porque está sendo revelada pelo fogo; e qual seja a obra de cada um o próprio fogo o provará.  Se permanecer a obra de alguém que sobre o fundamento edificou, esse receberá galardão;se a obra de alguém se queimar, sofrerá ele dano; mas esse mesmo será salvo, todavia, como que através do fogo. (1 Corintios 3:12-15)

Provavelmente foi isso que Martinho Lutero quis dizer a chamando "Epistola de palha". Mas porque ele disse isso? Provavelmente porque ele não gostava, ou não concordava com o que estava escrito naquele pedaço do evangelho. Mas porque? O que Tiago escreveu que incomodava tanto Martinho Lutero?

Ele não gostava do que Tiago dizia sobre Fé e obras. Isso não combinava com a "novíssima" doutrina de Lutero que dizia "Salvo somente pela fé". A revelação de Lutero sobre a salvação pela fé é uma fundamentação dada pelo rompimento dele com a sua antiga Igreja, a Igreja Católica Romana. Ele via todas aquelas "boas obras" que a Igreja Católica exigia como indispensável para a salvação como sendo sem necessidade.

Lutero estava sendo atormentado por um profundo senso de culpa de seu próprio comportamento e incapacidade de medir as "boas obras" que a Igreja Católica exigia para garantir liberdade do purgatório e entrada nos céus. Então essa sua revelação de "somente fé" era a resposta. De acordo com Martinho Lutero a salvação é "somente pela fé", e todo o resto seria heresia, ou "salvação por obras".

Mas a Epistola de Tiago explica o contrario a respeito da Salvação. Então é claro que ao invés de duvidar de sua própria revelação sobre a fé, ele preferiu duvidar da Bíblia. 

Olhem o que Lutero dizia sobre o Livro de Apocalipse:

His own personal revelation caused him to reject as well the inspiration of the Book of Revelations: “I miss more than one thing in this book, and this makes me hold it to be neither apostolic nor prophetic… I think of it almost as I do of the Fourth Book of Esdras, and can no how detect that the Holy Spirit produced it… Finally, let everyone think of it as his own spirit gives him to think. My spirit cannot fit itself into this book. There is one sufficient reason for me not to think highly of it, — Christ is not taught or known in it.” From Luther’s “Preface to Revelation” published in 1522, ibid, p. 488-489. He held similar views of Hebrews and Jude.

[ Tradução: Sua revelação pessoal causou ele a rejeitar também a inspiração ao livro de Apocalipse: "Eu me perco em mais de uma coisa nesse livro, e isso me faz achar que esse livro não é nem Apostólico e nem profético... Eu acho desse livro o mesmo que acho do quarto livro de Esdras, e não posso detectar que o Espírito Santo o produziu... Finalmente, deixe cada um pensar sobre esse livro o que seu próprio espirito acha dele. Meu espírito não consegue se encaixar nesse livro. Existe uma razão suficiente pra mim não dar créditos a ele, Cristo não é ensinado e nem conhecido nesse Livro." De "Prefacio ao Apocalipse" de Lutero publicado em 1522, ibid, p. 488-489. Eles tem visão similar sobre a Epistola aos Hebreus e a Epistola de Judas.] 

Fé que não funciona

O ponto principal da Epistola de Tiago é que qualquer Fé que é verdadeira é justificada pelas ações (obras) que essa fé produz. Se a fé não produz "Ação" (obras), então essa é a fé que literalmente não funciona. Em outras palavras, essa fé que não produz "ações" não vai te levar a vida eterna. 

O livro de Tiago é tão claro que até fala que "sua religião é vã" se não produzir "obras". Nesse caso especificamente a "obra" é apenas "refrear a lingua" (Tiago 1:26). Martinho Lutero se vocês pesquisarem, era um famoso por ter a "lingua solta". Então é claro, que ele não gostava da parte de Bíblia que condenava os homens que "com a lingua bendizem ao Senhor e Pai; também com ela, amaldiçoam os homens, feitos a semelhança de Deus" (Tiago 3:9)

Hoje em dia muitos cristões ainda ficam nervosos e contrariados se alguém afirmar que uma pessoa que não mostra açoes e obras, como Tiago diz, não tem a verdadeira Fé.

De que adianta, meus irmãos, alguém dizer que tem fé, se não tem obras? Acaso a fé pode salvá-lo? (Tiago 2:14)

Esses muitos rebatem dizendo "salvação por obras", e defendem o seu comportamento com as palavras "Salvação pela fé sozinha".  Mas na Bíblia, Tiago diz "Fé sem obras é morta". Isso significa que essa fé não vai te salvar. Tiago então continua e explica o que significam essas "obras", usando um simples exemplo de um irmão que necessita de roupas ou comida. Tiago diz que se você não o ajudar e lhe der roupas ou comida, e apenas dizer "Vá em paz, Deus te abençoe", a sua fé é em vão.

Tiago não está falando sobre obras como doar dinheiro para alguma instituição de caridade ou ajudar pessoas na África, ele está dizendo sobre o jeito como vivemos a nossa vida todos os dias, ai mesmo na sua casa, com o seu vizinho, etc.

Embora Lutero, o líder da reforma protestante tivesse essa visão de "fé sozinha salva", os Evangélicos protestantes de hoje não dizem que odeiam a Epistola de Tiago. Então como podem dizer que seguem a doutrina de Martinho Lutero? Entendendo isso, você poderá entender o ponto principal de toda essa "baderna religiosa" que vemos hoje com todos essa denominações existentes. Os Cristões de hoje em dia estão sendo bombardeados com um "evangelho" que ensina um jeito de ler o livro de Tiago e outras verdades na Bíblia e ainda assim "desconectar" essas verdades e não tirar conclusões próprias. Isso é o que Tiago queria dizer com "enganando o próprio coração" (Tiago 1:26)  

Religião Vã

Então vemos uma religião cheia de pecados e até mortes em nome de Deus, por pessoas (incluindo Martinho Lutero) que justificam suas açoes com o pensamento de que elas são "salvas pela Fé sozinha". Mas Tiago diz "Pode, acaso, semelhante fé salvá-lo? (Tiago 2:14)

Tiago vai ainda mais longe ao escrever para os crentes "Se alguém supõe ser Religioso, deixando de refrear sua lingua, antes, enganando o próprio coração, a sua Religião é vã." (Tiago 1:26)

Então qual é a "Religião vã" que Tiago está falando? Ele está falando com os Crentes aqui não está? Eles pensam que tem "a Fé que salva" porque eles acham que são religiosos, mas por apenas "não refrear a sua lingua", a pessoa por esse comportamento tem uma Religião vã.

Então tudo o que você faz importa, se você tem a Fé que funciona:

Aquele que diz: Eu conheço-o, e não guarda os seus mandamentos, é mentiroso, e nele não está a verdade. (1 João 2:4)

Obedecer e guardar seus mandamentos são "obras"??? Guardar e obedecer seus mandamentos são apenas obras sem importância que não tem nada a ver com "salvo pela fé"??? Pelo o que então somos salvos, exeto pelas boas obras preparadas para nós? (Efésios 2:8-10)

Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus.
Não vem das obras, para que ninguém se glorie;
Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas. (Efésios 2:8-10)

Aqueles que usam Efésios 2:8-9 para justificar "salvação somente pela fé", parece que em suas Bíblias não existe Efésios 2:10, pois um completa o outro e em nenhum momento se contradiz, e isso pode ser visto também no Livro de Tiago. Aos que vão mais longe e dizem que Paulo e Tiago se contradizem, pois Paulo prega a "salvação somente pela fé" e Tiago "salvação por fé mais obras" , fica claro que isso é uma heresia e que eles não se contradizem em nenhum momento, e que Tiago não prega salvação por obras, isso quem colocou na cabeça do povo foi Martinho Lutero, que desconsiderava a Epistola de Tiago, a Carta aos Hebreus e a Epistola de Judas simplesmente porque elas iam contra a sua "nova doutrina". É só saber interpretar. O próprio Paulo que dizem pregar "salvação somente pela fé" disse em Efésios 2:10 "Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas.

Tiago não está dizendo que a justificação se dá pela fé mais as obras, mas, ao invés disso, diz que a pessoa que é verdadeiramente justificada pela fé produzirá boas obras em sua vida. Se uma pessoa afirma ser crente, mas não produz boas obras em sua vida - então ela provavelmente não tem fé genuína em Cristo (Tiago 2:14, 17, 20, 26).
Se você é a semente de Abraão, você fará as obras que ele fez, disse Jesus em João 8:39. Tiago entendia muito bem "obras", mas ele estava obviamente escrevendo a sua carta para um "movimento" que estava crescendo na primeira Igreja, que era negar a necessidade de fazer essas "obras", e então transformar a primeira Igreja em uma Religião vã, uma sem açoes para mostrar e justificar sua Fé.

A Igreja deve ser conduzida pela Revelação de Deus. Foi isso que Jesus disse para Pedro, que não foi carne e sangue que revelaram a ele, que Jesus era o Messias filho do Deus vivo, mas o próprio Deus, que está no Céu (Mateus 16:16-19). Essa promessa de revelação profunda ao coração do homem seria a "chave para a o reino dos céus", e o inferno não prevaleceria contra essa pedra. Mas é óbvio que quando Tiago escreveu sua Epistola, a Igreja estava em uma condição em que estavam ouvindo da "carne e sangue" dos homens que estavam induzindo o povo a acreditar em algo falso (Mais sobre isso aqui) . Tiago quis mostrar que essa chamada "Fé" pregada por esses homens é morta desde que leve a pessoa a realizar boas obras e açoes.  Pessoas não são salvas por essa chamada "fé" que não te leva a realizar coisas boas. Esse tipo de fé não salva ninguém.

12 comentários:

  1. Excelente artigo, meu querido Jota!

    Sempre digo que não sou calvinista, spurgeonista, luterano ou flamenguista... prefiro seguir apenas o que está registrado na Palavra de Deus!
    Sem dúvida alguma estamos alinhados na visão de que o ser humano, por melhor que se esforce para ser, é passível de falha: eis aqui registrado um deslize do próprio Lutero!

    Parabéns pelo trabalho de pesquisa e pela coragem. Deixo um aviso: se prepara que muitoi provavelmente irá levar algumas pedradas por conta disso!

    O Senhor Deus seja sempre para contigo!

    ResponderExcluir
  2. Falou e disse... Gostei muito do texto!!! \O/

    ResponderExcluir
  3. Cristão é quem faz

    (Por Ed rené Kivitz)
    Concordo com a elucidação do meu pastor.

    A carta de Tiago, irmão de Jesus, foi alvo de grande controvérsia por ocasião da Reforma Protestante. Martinho Lutero não queria que a carta constasse da Bíblia, pois acreditava que Tiago ensinava a salvação pelas obras e entrava em contradição com o apóstolo Paulo, que ensinava a salvação pela graça mediante a fé. Tiago é bem enfático: "uma pessoa é justificada por obras, e não por fé somente" (2.24). Lutero dizia: cristão é quem crê. Tiago dizia: cristão é quem faz. Desde então, há quem acredite que a carta de Tiago estabelece o conflito entre fé e obras.

    Mas não é bem assim. Na verdade, Tiago está fazendo um contraste, não entre a fé e as obras, mas entre a fé viva e a fé morta, e seu argumento é muito claro e convincente: "a fé, se não tiver obras, é morta" (2.17). Nesse caso, Tiago concorda com o apóstolo Paulo, que ensinou que, para Deus, a fé que tem valor é aquela que "atua pelo amor" (Gálatas 5.6). Em outras palavras, a fé viva é conseqüente, isto é, havendo fé viva, necessariamente haverá obras.

    A controvérsia envolvendo Martinho Lutero pode ser considerada também uma intriga proposital de quem gosta de promover debates, pois mesmo Lutero concordava tanto com Tiago quanto com Paulo, pois afirmou que "é certo que ninguém será salvo pelas obras, mas é igualmente certo que ninguém será salvo sem elas". Claro como o sol do meio dia. As obras não são causa da salvação; a salvação é fruto da graça de Deus apropriada pela fé, que por sua vez resulta em obras. Amém.

    A questão é que Lutero estava no meio de um conflito sério com o Catolicismo Romano e o escândalo das indulgências, que em última instância implicava a noção de que uma pessoa podia comprar ou fazer por merecer sua salvação, fazendo nula a graça de Deus, que afirmava ser a salvação uma dádiva divina, independentemente de qualquer mérito humano. Naquela época, portanto, era justificável que Lutero se estranhasse com Tiago, pois temia que suas palavras pudessem dar argumento aos que tinham uma visão meritória da salvação.

    Mas hoje a coisa mudou. A graça de Deus está tão banalizada e a fé em Cristo tão esvaziada de suas conseqüências, que devemos dar o microfone a Tiago e amplificar sua voz. Por isso é urgente que se diga que a salvação é por fé, mas é ainda mais urgente dizer que a salvação é por obras, pois não há qualquer razão para que acreditemos em quem diz que tem fé, mas não tem obras, ou tem obras que contrariam a fé no Cristo e o Cristo da fé.

    ResponderExcluir
  4. Muito bom artigo! Realmente os ditos Calvinistas reformados beberam muito da fonte de Lutero, e apresentam muitos frutos como Lutero. Arrogancia e intransigência, inventando siglas para confundir o que é fácil.

    ResponderExcluir
  5. Faltou algo funcamental nessa texto... dizer que Lutero voltou atrás dessa afirmação e retirou o termo ''epístola de palha'' na segunda edição de seu texto.

    ResponderExcluir
  6. Está sendo desconsiderado nesta discussão um fato histórico bastante relevante. É que a carta de Tiago não era considerada inspirada até o ano 348 d.C.

    O Frgamento Muratoriano (170 d.C.) traz uma lista de livros do Novo Testamento que inclui os evangelhos, Atos, as cartas de Paulo (menos Hebreus), as cartas de João, a primeira carta de Pedro e o Apocalipse de João, mas não menciona a carta de Tiago nem a de Judas entre os livros inspirados e aceitos pela igreja na época.

    Orígenes (225 d.C) afirmava que os livros Tiago, 2 e 3 João, 2 Pedro e Judas eram livros disputados, ou seja, não eram aceitos unanimemente pelas igrejas de sua época como inspirados.

    Eusébio de Cesaréia (324 d.C.), em seu livro "História Eclesiástica" (no final do capítulo XXIII) afirma que o livro de Tiago é "espúrio", ou seja, não há evidências de que fora escrito pelo irmão do Senhor.

    Se considerarmos que os cristãos dos três primeiros séculos estavam mais próximos das origens do Cristianismo, podemos afirmar que realmente esta epístola de Tiago é de palha.

    Além disso, o capítulo 2 desta carta de Tiago traz um erro teológico. No verso 21 o autor afirma que Abraão foi justificado por obras, quando ofereceu o seu filho Isaque para sacrifício. Porém, verificamos que Gênesis 15.6 afirma que Abraão foi justificado somente pela sua fé, muito antes de oferecer o seu filho: "Ele creu no Senhor e isso lhe foi imputado para justiça" (Gen. 15.6 ARA). O autor dessa carta de Tiago errou. Abraão foi justificado pela fé somente. O ato de justificar o seu filho foi um fruto de sua fé, não uma obra justificadora. Tiago parece-nos mesmo uma epístola de palha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Todo aquele, pois, que ouve estas minhas palavras e as observa, será comparado a um homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha." Não basta apenas ouvir, deve-se observar, por meio de ações. Ir contra a Bíblia, é como ser Lutero, um mero herege.

      Excluir
    2. Não vejo erro teológico no capitulo 2 de tiago.o que abrão fez não foi um fruto de sua fé ,foi a prova de sua fé!fruto é quando vc pratica naturalmente como consequencia da sua fé ex:os frutos do espiritode gálatas 16.Deus deu uma ordem a abrão ,que ele entregasse seu filho ,seu unico filho a quem ele ama como diz gen:22.Abraão foi provado e aprovado por Deus ,e depois da sua ação de fé Deus reafirmou suas promessas a ele como disse tb o anjo do Senhor :agora sei (pelo seu ato de fé e obediência)que temes a Deus e não me negaste teu filho ,teu único filho gen:22-12b e tb disse :e disse :por mim mesmo jurei diz o Senhor:porquanto me fizeste isso,e não me negaste teu filho teu unico filho;e em tua descendência serão benditas todas as famílias da terra,porquanto "obedeceste à minha voz.gen 22;16 e gen 22;18..então atraves dessa prova Abraâo foi testado por Deus e foi sim justificado novamente porque Deus reafirmou todas as promessas que tinha lhe dito primeiramente em gen:12.então a fé de abrão foi uma fé viva porque ele provou com obras especialmente essa ,e durante toda a sua jornada ele praticou obras de obediencia à voz de Deus ,ele não somente creu e ficou de "boa"não ,teve que demonstrar sua fé através de obras vivas que estão registradas e deram seu glorioso título de pai da fé.

      Excluir
    3. Não vejo erro teológico no capitulo 2 de tiago.o que abrão fez não foi um fruto de sua fé ,foi a prova de sua fé!fruto é quando vc pratica naturalmente como consequencia da sua fé ex:os frutos do espiritode gálatas 16.Deus deu uma ordem a abrão ,que ele entregasse seu filho ,seu unico filho a quem ele ama como diz gen:22.Abraão foi provado e aprovado por Deus ,e depois da sua ação de fé Deus reafirmou suas promessas a ele como disse tb o anjo do Senhor :agora sei (pelo seu ato de fé e obediência)que temes a Deus e não me negaste teu filho ,teu único filho gen:22-12b e tb disse :e disse :por mim mesmo jurei diz o Senhor:porquanto me fizeste isso,e não me negaste teu filho teu unico filho;e em tua descendência serão benditas todas as famílias da terra,porquanto "obedeceste à minha voz.gen 22;16 e gen 22;18..então atraves dessa prova Abraâo foi testado por Deus e foi sim justificado novamente porque Deus reafirmou todas as promessas que tinha lhe dito primeiramente em gen:12.então a fé de abrão foi uma fé viva porque ele provou com obras especialmente essa ,e durante toda a sua jornada ele praticou obras de obediencia à voz de Deus ,ele não somente creu e ficou de "boa"não ,teve que demonstrar sua fé através de obras vivas que estão registradas e deram seu glorioso título de pai da fé.

      Excluir
  7. Mas depois Lutero entendeu que somos salvos para boas obras.

    ResponderExcluir
  8. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir